Resenha: Years & Years - Communion



As vanguardas musicais têm sido cada vez mais frequentes em todos os estilos musicas. Tal fato pode ser explicado pela quantidade de artistas novos que estão surgindo com novas propostas e pela facilidade de reprodução com a popularidade da internet. Mas não é sempre que a pesca por novos artistas é satisfatória, afinal, não é toda pesca que rende bons peixes. Felizmente, Years & Years são aqueles peixes grandes que dão trabalho para o pescador na hora da pesca mas depois de preparado todo o esforço é valido. O trio formado por Olly Alexander, Mikey Goldsworthy e Emre Turkmen promete render bons hits com suas batidas, marca que gravou nas canções que juntas formam o "Communion", disco que chega as lojas no próximo dia 10, mas com exclusividade o Sincronias ouviu as faixas dele antes e você confere nossas impressões sobre ele logo abaixo.


Years & Years - Communion

Lançamento: 10 de julho de 2015

Ouça: "Take Shelter", "Ties" e "Desire"

Para quem gosta de: Disclosure, Clean Bandit, AlunaGeorge, Ella Eyre, Kiesza

“Communion” é o disco de estreia deles e compila algumas canções já lançadas e outras exclusivas. O elemento que se destaca nas músicas presentes nele são as batidas, que são exploradas e explicitas em praticamente 90% do trabalho. Nascendo assim um disco envolvente, muito dançante e gradativo. Ao todo são 17 faixas – um número consideravelmente grande por ser o debut deles – o feito é que esses três ingleses tem muito a dizer (e a mostrar).


“Foundation” é a faixa que abre o disco e distingue-se das demais por exibir de forma isolada o potencial vocal de Olly Alexander, que canta “All the things I want / I really shouldn’t get” (Todas as coisas que quero / Eu realmente não deveria ter”). Ótima forma de iniciar o disco, visto que as faixas seguintes são “Real” e “Shine”, o mais recente single lançado.


Prosseguindo o nascimento do primogênito do Years & Years, “Take Shelter” é sem dúvidas o primeiro ponto alto do disco. Com uma batida contagiante, ela inicia de forma tímida mas antes mesmo de chegar ao refrão te conquista. Não deixando o clima cair, “Worship” segue com uma batida e uma linha de baixo envolvente que de primeira te deixa com vontade de batucar levemente os pés e até o fim te faz levantar para dançar. O refrão também ajuda bastante na compostura da música. Inclusive, não se assuste se ressaltarmos por demais os refrões, é que de fato eles são muito bons.


“Eyes Shut” é a primeira balada do disco, a responsável por quebrar a sequência de músicas osciladas e envolventes. Mas não se engane achando que o disco ruma para algo mais calmo, pois logo em depois aparece “Ties” e seu refrão chiclete e então chega a tão prestigiada “King”, o grande hit do trio até o momento e representante fiel da sonoridade do disco. “Desire” é o outro ponto alto do disco por dois motivos: sua letra além de divertida,  é a dona de um dos melhores refrãos do disco. Impossível ouvir e não se envolver e cantar junto (SIM!).


Daqui pra frente vemos o lado maduro do grupo. Years & Years mesmo estando lançando um cd de eletro-pop não deixou as baladas acompanhadas de um bom piano de lado. Uma excelente forma de calibrar o “Communion” e reafirmar o talento que cada um possui na banda. Alexander sofreu com o fim de um relacionamento no ano passado e isso refletiu muito nas composições dessas faixas.


Grave bem o nome dessa banda pois ela continuará nas paradas após o lançamento de seu primeiro disco. Não é sempre que alguém aparece tão forte assim, então, deixe-se cercar das batidas do delicioso electro-pop feito pelo Years & Years em "Communion". Salve a data: 10/07 o disco chega nas mais diversas plataformas digitais, não deixe de conferir. 

Comente com o Facebook:

0 Comentários:

Postar um comentário