Sampa Music Festival é marcado por retornos e despedidas


A 13ª edição do Sampa Music Festival, maior festival voltado para a música independente, ocorreu no último domingo, 2, no Espaço Victory, na zona leste da capital paulistana. Ao todo, 22 bandas exibiram seus trabalhos intercaladas em dois palcos que juntos totalizaram pouco mais de 12 horas de música. A pontualidade foi o ponto mais apreciável do evento, que foi marcado por retornos e despedidas. 


Após hiatos, Kiara Rocks optou pir marcar seu retorno nos palcos do SMF. "É bom estar de volta", disse Cadu Pelegrini, vocalista e guitarrista da banda. As canções escolhidas para a ocasião agradou os fãs, em especial "Todos os Meus Passos". Foi um retorno memorável. 




Um ar cômico instalou-se no Espaço Victory assim que Pedra Letícia deu início a sua apresentação. Presenciou-se um show totalmente para cima e divertido, assim como as composições do grupo. 





Marcando mais uma vez presença no festival, Glória mostrou porque já são de casa.  Iniciando o show com "A Arte de Fazer Inimigos", os fãs gritavam incansavelmente os versos da canção. Os Guerreiros - nome dado pela banda aos fãs - não estavam no palco mas foram um show a parte, mostrando bastante participação. 





Após um suspense de quase 30 minutos, Forfun começou o que seria o encerramento do forte ciclo que a banda possuía até então com o SMF. De 13 edições, os cariocas participaram de 7 e para fechar com chave de ouro, nada mais justo que uma performance longa e que passasse por toda a discografia do quarteto. O publico estava indomável; uns subiam nos ombros dos outros, pulavam, abraçavam e principalmente, apreciavam o talento que a banda carrega consigo. A sincronia dos 4 membros arrepiava. Não é atoa que gritavam sempre que podiam "Puta que pariu, é a melhor banda do Brasil. Forfun!".

Créditos de imagens:

Caio R.

Comente com o Facebook:

2 Comentários: