Entrevista: Msário conversa sobre seu passado, amizades e amor

Foto: Ariel Martini
Nascido e criado na zona sul da capital paulistana, Msário é um rapper que após ficar ao lado do grupo Pentágono por 12 anos, viu que era o momento propício para seguir viagem sozinho. Em entrevista ao Sincronias, ele explicou melhor como tem sido está jornada desde então.

Ao ouvir o “Sangue de Leão”, seu disco solo de estreia lançado no ano passado, percebemos o quão pessoal ele é, principalmente na faixa que nomeia o trabalho.  “Cada dia a gente vive uma experiência nova”, disse quando questionado sobre as mais diversas peripécias e conquistas adquiridas ao longo da vida. A que mais se destaca é o nascimento de seu filho, mas na música o que lhe realmente marcou foi o primeiro álbum do seu antigo projeto musical. O fato de ver as coisas saindo do papel e se concretizando na pouca idade que tinham foi um grande impacto, pois foi ali que finalmente sentiu-se representado, viu que o rap era algo que o integrava a sociedade.



Já diz o ditado, “a união faz a força” e Msário o segue religiosamente, já que desde sempre criou músicas com seus amigos. Há realmente uma cede em dividir o amor à música. E essa sede ultrapassa e quebra as barreiras financeiras, porque qualquer um pode ter a oportunidade de ouvir seu trabalho, seja comprando ou baixando gratuitamente, a intensão sempre foi divulgar cada vez mais sua arte, dar alcance e  propagar. Não existem limites.
Eu comecei a fazer música com os caras, eu comecei a fazer show com os caras. Se eu comecei a sonhar esse sonho de música, nunca foi sozinho. Faz parte de mim, faz parte da minha essência musical.
Em "Sangue de Leão" vemos de maneira plena uma enorme mistura de estilos musicais, embora se ressalte o rap e o reggae. Entre tantas influências e referências trabalhadas, fica difícil imaginar algo novo que possa ser introduzido em um trabalho futuro. Quanto a isso, Msário diz que ultimamente tem participado de um dos grupos de corais da USP, então suas recentes experiências nele fez com que surgisse a ideia de criar algo com eles futuramente. "Vejo a minha música em várias vertentes, seja do instrumental ao eletrônico. O importante é continuar misturando", complementa.


Para voltar um pouco no tempo foi trazido à tona a canção "Só O Amor", lançada lá em 2011. Pensando na frase popular "só Deus na causa", perguntamos uma situação que "só o amor na causa"  se encaixaria melhor e a resposta foi mais ou menos essa: 
Eu acho que em todas as situações! Escolho ele em todas as situações porque só com ele você vai poder aceitar seu trabalho melhor. Só com ele você vai poder aceitar sua família melhor, seus relacionamentos, suas amizades. Com o amor você vai acordar as seis horas da manhã, pegar o ônibus lotado e chegar feliz, sabe? É o amor que te encaminha. Quando eu era moleque, não entendia porque haviam tantas canções sobre o amor e só depois percebi o quanto o amor deve ser propagado, não só o amor afetivo, mas todas as formas de amor. Eu acho que o amor pode agir em várias causas.
E é com muito amor à arte como um todo que Msário segue se reinventando artisticamente dia após dia. Com amor é dada a continuidade em suas mensagens que abrangem e tocam os mais diversos públicos nos mais diversos cantos. 

Para ouvir o disco "Sangue de Leão", acesse: www.msario.com

Comente com o Facebook:

0 Comentários:

Postar um comentário