Resenha: Johannesburg - Mumford & Sons

Johannesburg (2016)
Mumford & Sons dispensa apresentações. Na última semana o quarteto inglês lançou um EP dono de cinco canções denominado "Johannesburg", marcado pela união de grandes artistas unidos com um só objetivo. Todo esse material foi criado enquanto o grupo visitava a Africa do Sul em turnê no início do ano; seguindo a linha de visitar locais pouco explorado pelas rotas do show business. Justamente por não ser tão comum, Mumford precisou da ajuda do trio The Very Best, o senegalês Baaba Maal e a banda sul africana Beatenberg para fazer este projeto virar realidade. Juntos gravaram ao longo de duas noites e dois dias no Studio 2 e no auditório da South African Broadcasting Corporation, localizado na cidade que leva o nome do EP.


"Johannesburg" foi produzido pelo próprio Mumford & Sons juntamente com Johan Hugo, maestro participante do coletivo The Very Best. "There Will Be Time", saiu em janeiro e foi bem recebida pelos fãs da banda. Neste novo trabalho era de se esperar algo totalmente novo, como a parte rítmica que foi explorada com sucesso, deixando as faixas com a essência musical dos músicos participantes.


“Ir para a África do Sul fez a gente se sentir em uma aventura em um continente em que nenhum de nós conhecia tão bem. O apetite por música ao vivo é imenso e a cultura jovem está explodindo com energia e rejuvenescimento naquele país”, disse o baixista Ted Dwane que merece um destaque por seu trabalho em "Fool You’ve Landed", a terceira canção do EP. 

Ouça "Johannesburg" na íntegra:

Comente com o Facebook:

0 Comentários:

Postar um comentário