5 coisas que amamos em "Rogério", novo CD da Supercombo


O quinteto Supercombo está prestes a lançar o seu mais novo álbum intitulado "Rogério". O Sincronias teve a oportunidade de ouvi-lo alguns dias antes do seu lançamento oficial e resolvemos listar as 5 coisas que mais amamos de tudo o que (ou)vimos. Primeiramente, o que mais chamou atenção foi o fato da banda conseguir se reafirmar musicalmente mais uma vez, mas sem se manter em sua zona de conforto e nem trazendo mais do mesmo.

1 - As Participações

Lembra que no mês passado fomos até ao João Rock? Pois bem, para quem não acompanhou, lá no festival havia um palco chamado "Fortalecendo a Cena" e foi exatamente o que foi feito aqui quando se trata de participações. Ao todo são 8 artistas convidados, todas membros presentes na cena de suas respectivas cidades, todas se movimentando e se expandindo pelo Brasil. Talvez seja essa o ponto alto o CD. Chamar toda essa galera que é visivelmente MUITO amiga tornou as coisas mais especiais e claro, grandiosas. São tantas parcerias que vamos listar, se atente:

- Raony & Keops (Medulla) em "Magaiver"
- Emmily Barreto (Far From Alaska) em "A Piscina e o Karma"
- Gustavo Bertoni (Scalene) em "Grão de Areia"
- Mauro Henrique em "Monstros"
- Lucas Silveira (Fresno) em "Bomba Relógio"
- Sergio Britto (Titãs) em "Eutanásia" 
- Negra Li em "Lentes"
2 - Carol soltando o gogó

A Carol Navarro é sem dúvidas uma das melhores baixistas do Brasil. Mas além de saber controlar bem o baixo, ela também possui uma voz muito linda e que por sorte se fez mais presente no "Rogério".
Experimente ouvir: "Magaiver" "Embrulho".



3 - A Arte física
Em tempos de streamings, plataformas digitais e todas essas tecnologias que usamos diariamente ficou cada vez mais difícil encontrar pessoas que ainda se preocupam com o tamanho de sua coleção de CDS físicos. Porém, como existem as exceções, a versão física do "Rogério" é algo totalmente desejável. Vamos por passos.


São tantos detalhes que o número de fotos foi extremamente necessário para que esse motivo fizesse sentido. Destaque total ao "olho de Rogério", que é responsável por fazer as artes mudarem. O encarte que quando desdobrado vira um poster também é um charme a parte. A importância que a banda deu na divulgação física do álbum é espetacular.


4 - Os feitos

Para quem já conhece muito bem os trabalhos anteriores da Supercombo sabe que a banda não perdoa quando o assunto é efeitos. Tão certo que Paulo Vaz é responsável por (fora os teclados) trazer a tona os efeitos das músicas. A questão é que nesse álbum os efeitos, as distorções e tudo que vocês possam imaginar estão presentes e com um grande destaque.



5 - Rogério como persona

O último tópico foi deixado para o final por ser o detalhe mais "sério" da lista. Quando observamos as composições, percebemos que o álbum se materializou em uma persona, que por sorte podemos chama-lá de Rogério. Portanto saibam que "Rogério" é cheio de inseguranças, aflições mundanas e questionamentos que muito provavelmente você também já teve. Com algumas letras ambíguas o público pode esperar por criar suas próprias interpretações, suas próprias histórias e suas versões. Desse modo não é muito difícil não se identificar com o Mr. Rogério. E um último detalhe: no encarte vê-se claramente os dizeres "Rogério sit in singulis nobis" que traduzindo fica algo como "Rogério senta-se sobre cada um de nós".

Comente com o Facebook:

0 Comentários:

Postar um comentário